Ferramentas

Entenda como funciona a visão noturna

maio 29, 2019
Tempo de leitura 6 min

Você sabe como funciona a visão noturna? Essa tecnologia é responsável por captar a luz do ambiente por meio de lentes frontais, possibilitando a recriação amplificada da paisagem no escuro. Assim, ela tem sido cada vez mais requisitada, principalmente para fins militares.

Os seres humanos conseguem enxergar em locais quase completamente escuros. A visão é 600 vezes mais sensível à luz em relação às câmeras digitais, por exemplo. A pupila dos olhos é responsável por regular a entrada de luminosidade, assim como ocorre no diafragma de uma câmera. Ou seja, em locais mais iluminados ela fecha e, no escuro, dilata.

Para saber mais, veja este conteúdo para entender como funciona a visão noturna e quais são os principais produtos que apresentam essa tecnologia.

Funcionamento da visão noturna

Criada e patenteada pelo húngaro Kalman Tihanyi em 1929, essa tecnologia funciona captando os fótons da radiação infravermelha, traduzindo-os em elétrons com a ajuda de um fotocátodo.

Como já explicamos aqui no blog, os elétrons são multiplicados com uma placa de multicanais e traduzidos em feixes de luz por uma tela de fósforo. Com isso, há a reprodução da imagem em tom monocromático com uma definição superior à original.

Por definição, a visão noturna é a habilidade de ver contornos iluminados com baixa intensidade de luz. As pessoas têm um pouco dessa aptidão, mas é necessário expor-se à escuridão por um tempo determinado para que a vista se acostume e seja possível enxergar alguns objetos com pouca luminosidade. Caso não exista iluminação alguma, é impossível captar as imagens a olho nu.

Os aparelhos que refletem a luz e a radiação infravermelha, por exemplo, devem ter uma sensibilidade suficientemente grande que possibilite tornar os objetos visíveis no escuro. Eles funcionam como amplificadores de luz e são capazes de aumentar a intensidade em até 30 mil vezes, projetando a imagem em uma tela fosforescente.

Um detalhe é que a luz infravermelha não é visível ao olho humano. Além disso, mesmo se tivéssemos essa capacidade, ainda seria necessário contar com uma lanterna ou uma fonte de luz IR incindindo sobre o local.

No caso dos animais que apresentam hábitos noturnos de caça, como os cervos e as corujas, a visão é mais adaptada. Isso se dá devido ao funcionamento da retina, que é a responsável por captar a quantidade mínima de luz presente no ambiente.

História da visão noturna

Os primeiros aparelhos de visão noturna surgiram no período pré-Segunda Guerra Mundial. Por isso, o principal motivo para começar a fabricar equipamentos desse tipo foram os interesses militares. Na década de 30, os soviéticos e os alemães foram os primeiros a testar o aparato em campo de guerra.

Eles utilizavam, junto aos visores, um emissor de infravermelho e uma parte da lente que permitia enxergar os contornos de luz. Existe um tipo de visão noturna feito exclusivamente para captar as imagens com o infravermelho, que retorna o contorno do desenho para a câmera.

Os alemães utilizavam a tecnologia na infantaria e nos tanques de guerra, o que evitava que os confrontos parassem à noite. Por isso, eles continuavam os ataques sem mostrar a posição, o que era bastante vantajoso, uma vez que os soldados não precisavam usar tochas, lanternas ou lampiões para enxergar.

Na mesma época, cientistas americanos começaram a utilizar e testar o mesmo tipo de aparato na Guerra da Coreia.

Como os Estados Unidos acabaram apoiando a Coreia do Sul, que já tinha conhecimento do equipamento, foi ainda mais fácil aprimorar a técnica para levar para os campos de batalha. Na Guerra Fria, a União Soviética utilizava a mesma tecnologia com a emissão dos raios infravermelhos.

Produtos que utilizam a tecnologia de visão noturna

Não existem lentes que permitem ver no escuro. Portanto, os principais produtos que utilizam a tecnologia da visão noturna são câmeras com emissores infravermelhos. Os equipamentos de uso militar são portáteis e instalados dentro das lentes fixadas no capacete, no carro ou no helicóptero de combate.

Certos aparatos emitem luz, mas existem outros que conseguem apenas captar as imagens. Atualmente, alguns equipamentos combinam ambas as funções e podem ter acoplados gravadores de imagens, como câmeras de segurança.

Já as câmeras de amplificação de luz têm fontes de iluminação artificial que funcionam com um animador, algumas lentes e espelhos, que desempenham a capacidade de ver na ausência de luz. Esse tipo de aparelho capta a imagem e devolve o seu contorno para que os indivíduos possam interpretá-la.

O mercado disponibiliza diversas marcas de câmeras de segurança que podem ser usadas no âmbito civil, instaladas em residências ou empresas. De modo geral, as câmeras portáteis de uso militar ainda são as mais comuns, geralmente utilizadas nos capacetes e nos veículos para emboscar o inimigo sem que ele perceba a aproximação.

A visão noturna continua desempenhando sua função inicial, ou seja, militar. Entretanto, existe uma variação para operações policiais e, principalmente, para operadores aeromédicos. E se você deseja adquirir um aparelho para finalidade civil (para práticas de esportes de aventura, por exemplo), é preciso prestar contas para o Exército e ir atrás da documentação, a fim de regulamentar a utilização do equipamento.

Em diversos locais do mundo, inclusive o Brasil, a comercialização de equipamentos de visão noturna sofre algumas restrições. Por integrarem a lista de Produtos Controlados do Exército (PCE), é preciso adquirir o Certificado de Registro (CR) emitido pelas Forças Armadas. Assim, é possível requerer o documento solicitando a autorização a fim de obter e utilizar o equipamento de forma legal.

Lembre-se também de que muitas vezes não existe necessidade de usar esse tipo de produto para uso pessoal. Ele pode ser facilmente substituível por uma lanterna adequada às suas necessidades ou, ainda, por um binóculo com maior aproveitamento da luz. Os da linha Steiner Nighthunter, por exemplo, têm 96% de transmissão de luz e permitem, dentre outras funções, 135 metros de campo de visão no escuro.

Agora que você já sabe como funciona a visão noturna e quais são os seus principais usos, vai ser muito mais simples escolher um equipamento para atender às suas necessidades. Dessa forma, pesquise se o produto oferece precisão e qualidade suficientes para desempenhar ao máximo suas funções.

Se você deseja aprender ainda mais sobre os principais equipamentos de aventura, assine a nossa newsletter e receba diretamente em seu e-mail todos os conteúdos do blog. Até a próxima!

Você também pode gostar

Sem comentários

Deixe um comentário