Ferramentas

Equipamentos de visão noturna: afinal, posso ou não ter?

abril 29, 2019
Tempo de leitura 6 min

Quem assiste a séries e filmes de ação provavelmente já se deparou com cenas em que os personagens utilizam um equipamento de visão noturna. Mesmo em ambientes escuros, com o auxílio de um dispositivo desse tipo, torna-se possível distinguir perfeitamente objetos, animais, pessoas ou qualquer tipo de anteparo.

Mas não se trata de uma tecnologia presente apenas no mundo da ficção. Ela existe há quase um século e é ativamente utilizada no âmbito militar desde a 2ª Guerra Mundial.

Esse assunto desperta a curiosidade de todos que se interessam por tecnologia, bem como dos aventureiros que estão acostumados a enfrentar a ausência de luz natural em suas expedições. E uma das dúvidas mais frequentes sobre esse tema diz respeito à efetiva disponibilidade dos equipamentos de visão noturna ao público comum.

Neste artigo, você encontrará respostas para essa e várias outras questões referentes a esses tipos de dispositivos. Vamos a elas!

Como funcionam os equipamentos de visão noturna?

Todo objeto inanimado ou ser vivo com temperatura acima do zero absoluto emite algum nível de radiação infravermelho. Contudo, esse tipo de radiação não consegue ser captado pelo olho humano. É aí que a tecnologia criada pelo físico húngaro Kalman Tihanyi no final da década de 1920 mostra-se extremamente útil.

Ele inventou um equipamento eletrônico que captava os fótons da radiação infravermelho e os traduzia em elétrons com o auxílio de um fotocátodo.

Em seguida, os elétrons eram multiplicados por meio de uma placa de multicanais e traduzidos novamente em feixes de luz graças a uma tela de fósforo. O resultado final era a reprodução da imagem original em tom monocromático (geralmente verde), mas com uma definição infinitamente superior.

Ao longo das décadas, essa tecnologia foi aperfeiçoada com o objetivo de aprimorar a multiplicação dos elétrons, garantindo imagens cada vez mais nítidas.

Qual a utilidade prática dos equipamentos de visão noturna?

Em situações normais, quem está com dificuldade de enxergar por falta de iluminação natural simplesmente usa qualquer fonte de luz artificial, seja ela proporcionada por um simples palito de fósforo ou por uma lanterna de última geração. Mas em operações táticas realizadas durante o período noturno ou em locais fechados, qualquer emissão de luz pode ser suficiente para entregar a localização de um pelotão inteiro, com consequências desastrosas.

Logo, os equipamentos de visão noturna representam uma vantagem muito significativa em situações de combate. Quem os utiliza tem uma perfeita noção espacial do ambiente e, o que é mais importante, pode enxergar os inimigos como se o sol estivesse brilhando.

São muito utilizados em emboscadas e operações de resgate, mas também têm grande eficiência em uma simples troca de tiros. Com a chamada mira térmica, que equipa armas de fogo de médio e longo alcance, o grau de dificuldade em se executar um tiro certeiro no escuro diminui sensivelmente.

Equipamentos de visão noturna podem ser usados por civis?

Tendo em vista o grande risco à segurança pública que equipamentos de visão noturna podem representar se utilizados por pessoas mal-intencionadas, sua comercialização sofre grandes restrições em diversos países. No Brasil, eles integram a lista de Produtos Controlados pelo Exército (PCE). Isso significa que a fabricação, comercialização e utilização de dispositivos dessa natureza dependem obrigatoriamente de autorização expressa do Exército.

Em tese, o cidadão que tiver um documento denominado Certificado de Registro (CR) emitido pelas Forças Armadas, geralmente concedido a atiradores, pode fazer um requerimento solicitando autorização para adquirir e usar equipamentos de visão noturna.

Na prática, porém, esse consentimento nunca é fornecido a civis, em especial no que diz respeito aos dispositivos dos tipos “intensificador de imagem térmica” e “iluminador infravermelho passivo”, que são os equipamentos de visão noturna por excelência.

As exceções ficam por conta de pessoas jurídicas, previamente registradas no Exército, cujas atividades justifiquem o emprego de aparatos com essas características, como emissoras de televisão e indústrias que operam com grandes fontes de calor.

Existem outros equipamentos de visão noturna que eventualmente podem ser adquiridos por civis. É o caso do “iluminador infravermelho ativo”, que só funciona com o auxílio de uma fonte de luz infravermelha, sendo relativamente comum em câmeras de segurança patrimonial. Porém, esse tipo de equipamento também necessita de autorização do Exército para ser adquirido, e os critérios de concessão são discricionários.

Portanto, por mais úteis que pudessem ser, em especial aos praticantes de pesca esportiva, caçadores e fotógrafos, os equipamentos de visão noturna não estão disponíveis para uso dos aventureiros brasileiros.

Há alguma alternativa aos equipamentos de visão noturna no Brasil?

Não existe nenhum dispositivo capaz de proporcionar imagens em condições de ausência de luz com a mesma precisão fornecida pelos equipamentos de visão noturna. Porém, há ao menos uma excelente opção disponível no mercado: binóculos que captam com extrema eficiência a luz natural refletida por qualquer espécie de anteparo. Isso porque, mesmo em noites com céu nublado, a lua e as estrelas ainda proporcionam alguma iluminação natural que, com os binóculos adequados, já é suficiente para gerar imagens bastante apuradas.

A líder mundial nesse segmento é a empresa alemã Steiner, com mais de 70 anos de experiência no desenvolvimento de binóculos, lunetas e outros dispositivos ópticos, inclusive para uso militar.

Os binóculos da série Nighthunter são dotados de uma tecnologia única, capaz de potencializar em mais de 96% a transmissão de luz refletida por um anteparo. Têm alcance superior a 100 m de distância e sistema de focagem que se adapta automaticamente ao olho do usuário, por isso não é necessário realizar novos ajustes a todo momento.

Apesar de se tratar de um equipamento sensível, é confeccionado com materiais de alta durabilidade e resistência. Não por acaso, a Steiner tem a política de oferecer garantia por longos períodos, que muitas vezes chegam a 30 anos. Os binóculos não são produtos controlados pelo Exército, podendo ser livremente adquiridos, transportados e utilizados.

Assim, quem estava entusiasmado com a perspectiva de contar com um equipamento de visão noturna em sua próxima expedição não tem motivos para desanimar. Com o binóculo apropriado, também é possível obter excelentes resultados e tornar as suas aventuras ainda mais bem-sucedidas e produtivas durante muitos anos!

Você também pode gostar

Sem comentários

Deixe um comentário