Cutelaria

Espada japonesa Katana: o que você precisa saber

junho 17, 2019
Tempo de leitura 6 min

De todas as espadas já criadas pelo homem, provavelmente a que desperta mais curiosidade é a Katana, espada japonesa que surgiu durante o período medieval e permanece sendo usada há séculos.

Ganhou destaque na cultura popular durante as últimas décadas quando foi empunhada em diversos filmes de Hollywood, séries de TV e histórias em quadrinhos, além de ser utilizada para a prática de artes marciais.

Da mesma maneira que as obras de ficção aumentaram o interesse pela Katana, também propiciaram a disseminação de informações imprecisas sobre a sua origem, história e características.

Para esclarecer as principais dúvidas e afastar alguns mitos que giram em torno da Katana, vamos sintetizar o que é mais importante para você saber sobre essa lendária espada japonesa. Confira!

Conceito de Katana

Antes de mais nada, na língua japonesa pronuncia-se a palavra Katana como se ela tivesse um acento agudo no último “a”. Porém, no Brasil, ouvimos muitas pessoas enfatizando a sílaba do meio com relativa frequência.

A Katana é uma espada com lâmina espessa e longa, de aproximadamente 75 cm de comprimento, ligeiramente curva, fabricada em aço de alta qualidade. Tem fio de corte em somente um dos lados, ponta em forma de cunha com grande poder de perfuração e guarda que pode ter o formato redondo ou quadrado.

Foi projetada para ser manuseada com ambas as mãos e deve ser transportada em uma bainha própria, que facilita o saque rápido.

É conhecida por ser a principal arma dos samurais, os guerreiros de elite dos senhores feudais japoneses. Eles seguiam um rigoroso código de honra (bushido) e recebiam treinamento de combate com técnicas especiais, não acessíveis a qualquer pessoa. Foi utilizada pelos japoneses em todos os conflitos militares, desde a Idade Média até a Segunda Guerra Mundial.

Origem da espada japonesa Katana

Ao contrário do que muitos imaginam, a Katana não foi a única espada utilizada pelos japoneses. Há registros históricos do século VIII que comprovam a adoção de espadas com lâmina curta e reta, similar ao Gládio romano. Espadas com pontas duplas, com formato semelhante ao de flechas, foram encontradas em sítios arqueológicos de túmulos datados do século IV ao VIII.

A Katana com as características que conhecemos hoje só surgiu no século XIII. Nesse período, os japoneses sentiram a necessidade de utilizar espadas mais poderosas para perfurar as armaduras e escudos do exército mongol, que fazia repetidas investidas na tentativa de conquistar o arquipélago nipônico.

Durante longos períodos de paz, sobretudo entre o final do século XII e o início do XIV — quando o Japão não era alvo de ataques por parte de outros povos e a autoridade do imperador era reconhecida por todos — os grandes mestres artesãos tiveram a oportunidade de se dedicar à confecção de Katanas com detalhes artísticos extremamente refinados.

Quando o poder imperial começou a perder força a partir de 1333, o Japão passou a viver uma verdadeira guerra civil entre senhores feudais que disputavam o poder entre si por intermédio de seus guerreiros, os samurais. Nessa fase, que durou até quase o final do século XVI, a preocupação com detalhes estéticos deu lugar a uma produção mais ágil, priorizando a durabilidade e a resistência das lâminas.

O que leva a Katana a ter tanto prestígio até hoje

É curioso notar que em pleno século XXI, quando as espadas são consideradas armas obsoletas, Katanas fabricadas com as mesmas especificações verificadas há mais de meio milênio continuam ocupando um espaço relevante no imaginário de tantas pessoas ao redor do mundo. Como mencionamos no início, o mundo da ficção tem um papel importante para que isso aconteça, mas existem outros motivos.

No Japão medieval, as Katanas eram produzidas sob encomenda para cada samurai e decoradas com detalhes específicos em suas lâminas, guardas, empunhaduras e bainhas. Cada espada era uma peça única, cuja história se misturava com a do próprio guerreiro, seus feitos e as batalhas das quais participou. Tudo isso tornava a Katana um objeto muito mais complexo e cheio de significado do que apenas uma arma qualquer.

Além disso, o design e os materiais empregados na sua produção fazem com que ela seja uma das espadas mais versáteis e eficientes de todos os tempos. Ao mesmo tempo, é um instrumento utilizado por praticantes de artes marciais e um artigo cobiçado por colecionadores.

Anatomia e principais características da espada japonesa

Um dos diferenciais mais relevantes da Katana é a lâmina levemente curvada. Essa curvatura é obtida durante o processo de resfriamento, quando a lâmina, ainda incandescente, é mergulhada em água ou óleo. É a súbita mudança de temperatura que contrai a parte de trás e expande a da frente, abandonando o formato reto para ganhar um arco sutil na parte do gume.

A Katana também é conhecida pela grande resistência da lâmina, obtida mediante um processo conhecido como sanmai. Nele, três camadas de aço-carbono são  combinadas: uma é formada por um aço mais maleável e fica entre duas camadas de aço com maior dureza, capazes de suportar golpes vigorosos sem sofrer danos — mesmo depois que a lâmina é submetida a inúmeras afiações.

Materiais utilizados na confecção da Katana

Além do aço de elevada qualidade, algumas matérias-primas são tradicionalmente empregadas na produção das Katanas. Sua empunhadura é forrada com couro de arraia ou tubarão e costurada com fios de seda. A guarda (tsuba) pode ser fabricada em aço ou com madeira bastante resistente, já que precisa proteger a mão de quem está empunhando a espada.

Muitas vezes a guarda é fixada à empunhadura por meio de pinos de bambu, que podem ser retirados para realizar reparos ou até substituir a peça. A bainha, feita em madeira, é parte essencial da Katana; além de preservar o corte da lâmina, evita acidentes durante o transporte da espada.

Diferenças entre os tipos de Katanas

Atualmente, existem três tipos de Katanas:

  • as de madeira, sem nenhum poder de corte ou de perfuração, utilizadas somente para realizar treinos sem risco de ferimentos;
  • as decorativas, próprias para serem utilizadas apenas como adorno;
  • as Katanas usuais, com lâmina de aço que tem poder de corte e perfuração.

É muito simples identificar as Katanas para treino, mas há quem confunda as decorativas com as usuais. Para não cometer esse erro, verifique a espessura da lâmina e os materiais utilizados no acabamento da empunhadura. As decorativas geralmente têm lâminas finas, que se quebrarão no primeiro golpe, e utilizam materiais sintéticos no acabamento.

Outra dica relevante é observar a presença de pinos fixando a lâmina na empunhadura, pois isso é sinal de que a espada foi construída para ser efetivamente utilizada.

A faixa de preço também costuma ser um parâmetro relevante. Enquanto as decorativas, via de regra, custam menos do R$ 1.000,00, as Katanas usuais têm preço mais elevado, que pode superar a barreira dos R$ 6.000,00.

Se você estiver interessado em adquirir uma autêntica espada japonesa Katana, ou mesmo um exemplar decorativo, não deixe de consultar o catálogo da Crosster, importadora e distribuidora autorizada das principais marcas da cutelaria internacional. Lá você encontra diversos tipos de Katanas e uma infinidade de modelos de espadas.

Você também pode gostar

Sem comentários

Deixe um comentário